Pedro quer contar sua história. Ele é uma pessoa especial, que nasceu com paralisia cerebral, catarata congênita e incapacidade de andar, falar e fazer muitas outras coisas. Alguns chamariam Pedro de excepcional, deficiente físico, deficiente mental, incapacitado, impossibilitado, prejudicado... Nossa! São tantos os nomes que acho melhor ficar só com especial!Pedro quer contar sua história. Ele é uma pessoa especial, que nasceu com paralisia cerebral, catarata congênita e incapacidade de andar, falar e fazer muitas outras coisas. Alguns chamariam Pedro de excepcional, deficiente físico, deficiente mental, incapacitado, impossibilitado, prejudicado... Nossa! São tantos os nomes que acho melhor ficar só com especial!

Quer escrever para mim?


 

"Quantas estrelas há no universo? E qual o nome delas?" - "Um dia diferente"

12/02/2005
Ganhei minha própria marca!

Você tem uma marca? Eu tenho. Ganhei esta semana e agora estou parecendo até produto de luxo, desses que têm marca. Bem, mas não é exatamente a marca que você está pensando...
cool eh?


Não se assuste com minha cara não. Não doeu quase nada. É que na foto eu tinha acabado de acordar. É sono mesmo.


A marca que ganhei é na testa, logo acima da sombrancelha direita. Não precisei contratar nenhuma empresa de marketing para ganhar, bastou eu querer ficar em pé sozinho da poltrona onde às vezes eu fico e... PIMBA! Fui de cara no chão.

Como o tapete é desses rústicos, deu uma raspadinha na testa, nada de grave. Ficou uma marquinha de raspado, mas ficou. Meu pai colocou gelo e acho que isso ajudou para não criar um galo daqueles. Mas a lição vale para muita gente. Sabia que crianças, portadores de deficiência e idosos sofrem um bocado de acidentes em casa? Verdade.

Meu pai é arquiteto e já viu as coisas mais escabrosas possíveis. Projetos com escadas sem corrimão ou proteção, por exemplo. Tem arquiteto que entra em êxtase quando projeta algo assim, sem saber que alguém vai acabar entrando em coma por causa disso.

Quem se tem crianças, idosos ou portadores de deficiência em casa é preciso tomar cuidados especiais. Tapetes podem fazer um idoso tropeçar, uma cadeira de rodas enroscar ou atrapalhar alguém que engatinhe. Janelas e sacadas de andares altos precisam ter redes ou grades, banheiros precisam de barras para segurar, tapetes anti-derrapantes e às vezes assentos elevados para o vaso para pessoas idosas com dificuldades para sentar.

Veja algumas dicas do site Sabido:

1. A cama não deve ser muito alta. Deve ter uma altura entre 50 e 55 centímetros, para que a pessoa possa firmar bem os pés antes de se levantar.
2. Os interruptores precisam ficar ao alcance da pessoa na cama para que ela não tenha que se movimentar no escuro antes de acender a luz.
3. O piso precisa ser antiderrapante e os tapetes fixos no chão.
4. Barras de apoio no banheiro tanto no vaso como dentro do box são fundamentais para evitar quedas.
5. Os degraus devem ser substituídos por rampas de inclinação leve. Toda escada tem que ter corrimão e proteção antiderrapante.
6. As tomadas devem ficar na altura dos interruptores para evitar que as pessoas tenham que se abaixar muito para alcançá-las.
7. Os móveis devem ser adaptados para serem de fácil alcance e de cantos arredondados. Os sofás devem ter braços largos para ajudar os movimentos de se levantar e se sentar.
8. As prateleiras não devem ser nem muito altas ou baixas para evitar que a pessoa tenha que se esticar ou abaixar para pegar algo.

Se quiser um check-list para verificar tudo em sua casa, sugiro visitar o site CasaSegura ou baixar o arquivo Doc de lá.

Se tem alguma criança, idoso ou deficiente em sua casa, tire o dia de hoje para fazer um levantamento dos riscos e de como você pode facilitar a vida dessas pessoas ou protegê-las de acidentes. Se precisar fazer algo, faça já. Ou alguém na sua casa pode ganhar uma marca como a minha.

Casa Segura
Cybele Barros

A segurança domiciliar, respeitando os hábitos e costumes dos moradores e das diferentes faixas etárias, deve ter como meta a prevenção de situações freqüentes, quer simples, como contusões e queimaduras de 1º grau, quer complexas como fraturas do fêmur proximal, rádio distal, coluna lombar e outras.

A arquiteta Cybele, deu vida ao tema, pois coloca amor em seu trabalho, fato que já repercutiu em todo o Brasil e no exterior, sob a forma de artigos, palestras, cursos, debates, eventos e publicações.

Com este livro, o leitor terá a oportunidade de tornar reais inúmeras sugestões práticas, se desejar uma casa mais segura.

"Quantas estrelas há no universo? E qual o nome delas?" - "Um dia diferente"



 

[ Atual ] [ Início ] [ Arquivo ]



Powered by FeedBlitz

Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?




...que meu nome é Pedro e nasci cego e incapacitado de falar ou andar, devido a problemas genéticos, paralisia cerebral, catarata congênita e microftalmia. Minha mãe natural não ligava muito para mim e vivi meus primeiros quatro anos deitado de costas com minha perna amarrada à cama, para não cair. Demorou para eu perder a cicatriz causada pelo cordão logo abaixo de meu joelho direito.

Nada de beijos e abraços, brincadeiras ou risadas. Meus primeiros anos foram só de sobrevivência naquele barraco muito quente em uma favela. Eu vivia doente, com a barriga cheia de vermes, e até os 4 anos era incapaz de comer alimento sólido, porque ninguém me ensinou. Depois de desmamado, minha mãe me manteve vivo com uma mistura de água, farinha de mandioca e açúcar que eu tomava em um copo, pois perdi a habilidade de sugar.

Minha avó era quem cuidava mais de mim, pois minha mãe passava a maior parte do tempo nas ruas. Isso até a avó morrer e minha mãe decidir me dar a alguém. Então... bem, esta é a história que você irá ler em meu diário que, na verdade, é escrito por meu novo pai, pois, como já disse, não consigo falar, ver, andar, escrever ou até mesmo fazer um diário como este. Mas acho que papai vai fazer um bom trabalho tentando adivinhar o que eu gostaria de contar ao mundo se pudesse.

Mas não é só para contar minha vida que este blog existe. Papai é escritor e profissional de comunicação e marketing, por isso este blog serve também para mostrar como meus amigos, chamados deficientes, podem ser pra lá de eficientes com uma pequena ajuda de pessoas que os compreendam. Existe um mundo diferente daquele onde a maioria das pessoas vive e papai decidiu mostrar um pouco disso. Isso eu também quero contar.



Minha irmã se inspirou em minha história para escrever este romance que ganhou um prêmio literário e foi escolhido para fazer parte da coleção Anjos de Branco, coordenada pelo escritor Antonio Olinto. É dele o texto do prefácio e a apresentação é de autoria do escritor José Louzeiro, ambos da Academia Brasileira de Letras.

Minha irmã é enfermeira e cuidou muito de mim, até se mudar para o exterior. Quando eu vim morar neste lar eu tinha quatro anos e ela tinha só seis, mas logo me adotou como sua "boneca" preferida. Ehrr... quero dizer, "boneco". Ela conta tudo isso no livro. O nome dela é Lia Persona e o livro Uma Luta Pela Vida é muito bom.


Minha irmãzinha e futura enfermeira
ainda olhava desconfiada em 1987.

Lia fez um trabalho muito legal de pesquisa a meu respeito, entrevistando papai, mamãe, vovó e outras pessoas para ir juntando a história toda. Além disso, ela foi procurar informações em antigas correspondências, álbuns de fotos e até em exames médicos e radiografias.


Hoje ela está mais confiante e generosa.
Até ganhei um ursinho!

Ela costumava me levar ao médico, hidroterapia e fisioterapia, e vivia pesquisando alguma nova técnica para consertar meus defeitos de fábrica. Toda hora inventava um "recall" para ver se dava para trocar alguma peça em mim! Até equoterapia eu fiz com ela ao meu lado! Como o papai tem péssima memória, irá recorrer à Lia e ao seu livro "Uma Luta pela Vida" para escrever este blog. Você também poderá ler uma entrevista que a jornalista Fernanda Do Couto S. Riberti fez com minha irmã clicando aqui.

Tenho também um irmão, Lucas, que é muito legal e ajuda a cuidar de mim. Quando morava em casa dormíamos no mesmo quarto e ele vivia dizendo que eu ronco. Será? Nunca escutei! Ele é muito generoso também. Como a minha cama ficava ao lado da dele, só que no chão, para eu não cair, quando fazia muito frio eu puxava o cobertor dele e me cobria dobrado. Aprendi a fazer isso devagar para ele não acordar.


Convide um amigo para me visitar.

*De:


Para:


Comentário:

*Preencha todos os campos.

Meus amigos também querem contar...
A Cerca da Vida
Amputados Vencedores
Andar com Asas
Andrea Schwarz
Arte Vital
Atelier Studio Medusa
Bengala Legal
Blog do Victinho
Camarpho
Canto de Anjo
Cantinho do Gil e da Teca
Cantinho do Roger
Crônica Autista
Daniela Caburro
Dedos dos Pés
Deficientes
Defis
Ednei Miguel
Eficiente Físico
Enfim grávidos
EspecialmenteSer
Fábio Becker
Fundação Selma
Kenji & Hideki
LerParaVer
Letícia
Luís Fernando Ferreira
Luiz Maia
Ludeficiente
Mara Gabrilli
Maré
Minha História
Muito Especial
Naldo
Página da Patty
Patricia Cichelli
Pensando na vida
Projeto Próximo Passo
Pronto para a corrida
Repórter SACI
Rindo de Nervoso
Sentidos
Site do Diego
Superando Obstaculos
Suzana Fonseca
Thiago Cristiano Targino Rocha
Transformação
Uma criança muito especial
Uma lição de vida
Uma vida transformada
UPASC
Virgínia Vendramini

Se você tem um blog sobre pessoas especiais, envie seu endereço aqui Se quiser criar um link para cá, pode usar o banner abaixo.:


[ Atual ] [ Início ] [ Arquivo ]


Mario Persona CAFE

O evangelho em 3 minutos

Chapter-A-Day

True Stories - Histórias de Verdade



Copie o endereço RSS para seu leitor de feed O que é RSS?

Add to Google
Subscribe in Bloglines



BlogBlogs.Com.Br Who links to my website?

Site Amputados Vencedores